Banx broker
Advertisement
Share
View previous topicGo downView next topic
avatar
Diego.E
Broj poruka : 44
Points : 927
Date of Entry : 2015-08-17
Godina : 39

Análise Gráfica

on Mon Aug 17, 2015 8:41 pm
O que é análise gráfica


A análise gráfica, ou análise técnica como também é conhecida, é o tipo de análise cuja matéria prima é o gráfico histórico de preço dos ativos, que podem ser ações, commodities, índices, etc.

É o tipo de análise mais utilizada pelo pequeno investidor pessoa física, pois é uma análise que não requer profundos conhecimentos de economia, administração, contabilidade, etc., como é o caso da análise fundamentalista. Qualquer investidor consegue se familiarizar rapidamente com os gráficos após um período de adaptação e se torna capaz de interpretar os movimentos dos ativos através deles.

Embora seja uma análise fácil de ser compreendida, muitos investidores não conseguem obter sucesso financeiro ao utilizá-la. Aqui, cabe ressaltar, que o entendimento do gráfico é apenas uma pequena parte do caminho a ser percorrido. Para fazer dinheiro através dessa interpretação é preciso utilizá-la da maneira correta, sem tentar fazer previsões do futuro, além de desenvolver um método eficaz de controle de risco.

A análise gráfica possui alguns princípios que sustentam e justificam o método. É importante para o investidor que deseja utilizar esse tipo de análise estar familiarizado com eles, afinal, para aqueles que acreditam na análise gráfica, esses são a base de tudo. Vejamos quais são esses princípios.

O preço desconta tudo


Para a análise gráfica o preço contém todas as informações necessárias para o mercado. Não interessa saber o motivo do movimento dos preços. Tanto faz se os preços se moveram devido a crises mundiais, problemas de administração na empresa, microeconomia, política, notícias, etc.

É mais importante saber como os preços se movimentam do que saber os motivos pelos quais eles se movimentam, afinal, não importa o motivo, mas o preço sempre se movimentará. É por isso que se diz que o preço desconta tudo.

Os preços se movem para refletir o comportamento dos investidores, que podem agir impactados por algum motivo específico, como notícias ou crises, ou simplesmente por insegurança, pânico ou euforia. É muito difícil descobrir os motivos que levam os investidores a agirem, mas os movimentos dos preços ficam registrados no gráfico, ou seja, é algo concreto, indiscutível. O preço representa toda informação necessária para o analista gráfico.



O preço segue uma tendência

A análise gráfica também parte do princípio de que os preços se movimentam dentro de tendências bem definidas. Isso gera muita dúvida e discussão por parte de estudiosos, pois alguns acreditam no movimento aleatório do mercado.

Embora possa se notar certa aleatoriedade nos movimentos de curtíssimo prazo, quando passamos a analisar períodos mais longos, podemos observar tendências bem definidas, tornando esse tipo de movimento um fato registrado nos gráficos.

Essas tendências podem ser explicadas por períodos onde o otimismo dos investidores (tendência de alta) se sobressai ao pessimismo (tendência de baixa), ou vice-versa. Também é possível observar períodos de calmaria nos mercados, quando os preços assumem posições laterais, ou ainda, períodos de certa confusão, afinal, o sentimento e a percepção dos investidores em relação ao mercado, alteram-se com certa freqüência.

Porém, com o passar do tempo, o mercado acaba por assumir uma tendência mais bem definida. Aliás, é justamente o passar do tempo, com os movimentos se sustentando dentro de alguns patamares (de alta, de baixa ou lateral), que concretiza e fortalece as tendências.



Os ciclos se repetem

O último princípio é o de que os ciclos se repetem, ou seja, de que acontecimentos passados se repetem no futuro. Essa afirmação é um tanto quanto perigosa, pois pode dar a impressão de que esse tipo de movimento se repete sempre da mesma maneira como se repetiu no passado, e isso não é verdade.

O que acontece, é que os movimentos de alta e baixa apresentam ciclos, e a história tem mostrado que esses ciclos se repetem, mas não de maneira absolutamente simétrica ou exata.

A repetição desses ciclos acontece, pois eles refletem o comportamento da massa de investidores presentes no mercado, que são basicamente movidos pela ganância e por sentimentos como euforia e pânico.

É por isso que nem uma queda nem uma alta duram infinitamente, afinal comprar um ativo em plena queda, desperta a ganância de comprá-lo barato, esperando uma alta para vendê-lo mais caro, assim como vender um ativo na alta, representa o medo de perder dinheiro em caso de queda. São esses sentimentos que sustentam as forças compradora e vendedora, fazendo com que os ciclos do mercado se repitam ao longo do tempo.

Ciclos que se repetem podem ser representados por movimentos mais amplos, como as tendências, por exemplo, afinal, é comum observarmos períodos de recuperação após crises mundiais, ou então períodos de crise após euforia desmedida, ou ainda por movimentos menores de curto prazo, como é o caso das figuras de impulsão, que ao longo da histórica tem se mostrado como padrões gráficos recorrentes que podem antecipar movimentos de alta ou baixa.

View previous topicBack to topView next topic
Similar topics
Permissions in this forum:
You cannot reply to topics in this forum